A SÍNDROME DE BURNOUT ESTÁ TE AFETANDO?

Estar em um ambiente de trabalho estressante é um problema para vários profissionais, incluindo o advogado. A rotina complexa e agitada de quem trabalha com advocacia às vezes é bem exaustiva e esse cansaço pode se tornar um problema ainda maior. Uma doença que vem se tornando cada vez mais frequente em profissionais que atuam em ambientes com alta pressão é a Síndrome de Burnout.

De acordo com levantamento da International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR), dos 100 milhões de trabalhadores brasileiros, 30% sofrem com a doença, e estão entre os que mais têm problemas causados por estresse crônico provocado pela jornada e o ambiente de trabalho. A proporção dos trabalhadores do nosso país é semelhante à do Reino Unido, onde um a cada três habitantes (cerca de 20 milhões de pessoas) enfrenta o problema. No ranking de oito países elaborado pela Isma-BR, o Brasil está à frente da China e dos Estados Unidos. O país perde somente para o Japão, onde 70% da população apresenta os sintomas.

Profissionais que convivem com a síndrome costumam desenvolver sintomas como cansaço, irritabilidade, desmotivação, dores tensionais e mudanças no sono e apetite. Além disso, a dificuldade de concentração e memorização, o pessimismo e o sentimento de fracasso são sintomas frequentes na vida destes profissionais. A síndrome é causada por situações intensas de estresse no trabalho, por isso muitos advogados podem desenvolver a síndrome ao longo de sua carreira, já que a rotina da profissão é repleta de pressão e estresse.

De acordo com o Dr. Dráuzio Varella, a síndrome de burnout é um estado físico, mental e emocional de cansaço extremo. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a síndrome é resultado de um estresse crônico no ambiente de trabalho que não foi administrado com êxito. A OMS afirma que trata-se de uma síndrome caracterizada por sentimentos negativos sobre o trabalho, sensação de esgotamento e pouca eficácia profissional. O problema ocupacional atualmente está incluído na 11º Revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID-11) e entrará em vigor em 2022.

A SÍNDROME DE BURNOUT NA ADVOCACIA

 SINTOMAS

O cansaço é normal na advocacia (e em qualquer outra profissão). Mas, quando o advogado reluta em trabalhar sem nenhum motivo aparente, algo pode estar errado.

Dores de cabeça fortes em um curto período de tempo, insônia e um sentimento de insegurança e incapacidade também são sinais de que a síndrome de burnout está presente na vida do profissional.

Um advogado com a síndrome fica com o psicológico e a autoconfiança abalados. O medo de perder prazos e fracassar em suas atividades começa a fazer parte de sua rotina. Provocado por esses medos e incertezas, o profissional pode desenvolver ansiedade, pressão alta, problemas gastrointestinais e alteração de batimentos cardíacos. Em casos mais graves, o advogado pode se tornar até depressivo.

DIAGNÓSTICO DA SÍNDROME DE BURNOUT

Infelizmente, as pessoas que desenvolvem doenças psicológicas são vítimas de preconceito, e o tratamento costuma ser adiado por conta disso. Quem desenvolve a síndrome de burnout também pode sofrer, por falta de informação.

Os estigmas enfrentados por pessoas que sofrem destas doenças são vários. Tais problemas podem ser interpretados como sinal de fraqueza, preguiça ou medo. Mas, apesar de ser negligenciada por alguns, a síndrome de burnout é um problema de saúde sério e que pode trazer complicações graves para a saúde do portador. Por isso, a síndrome deve ser analisada em exames clínicos, por psicólogos e/ou médicos especializados.  

Ao ser diagnosticado com a doença, a pessoa precisa se tratar com psicoterapia, por exemplo, e medicamentos. Atividades físicas e exercícios de relaxamento, como ioga e meditação, também podem ajudar. Porém, nada disso será suficiente caso a rotina no trabalho dessa pessoa não mudar.

As condições de trabalho, os hábitos e estilo de vida dentro do escritório de advocacia precisam sofrer mudanças para que o profissional que ali trabalha possa se recuperar e não desenvolver mais a síndrome. Além disso, a manutenção destes tópicos deve ser feita para que, no futuro, ninguém mais do escritório desenvolva a doença.

PREVENÇÃO

Se a síndrome de burnout é causada por estresse e pressão no trabalho, a melhor forma de evitar desenvolver a doença é reduzir esses tópicos no ambiente do trabalho, certo? Na verdade, sim, essa é a melhor maneira de se prevenir contra a síndrome, porém, pode ser mais difícil do que se pensa, já que o estresse, a pressão e o ritmo acelerado das atividades fazem parte do nosso cotidiano.

O advogado que desenvolveu a doença ou está com os principais sintomas, deve procurar ajuda de um profissional especializado e também tentar conversar com alguém no próprio escritório. Para que a rotina de trabalho mude, todos os envolvidos de maneira macro na sua rotina, precisam saber o que está te afetando. Por isso, uma conversa aberta e tranquila pode ser muito útil, para ajudar a resolver a exaustão que cerca o ambiente. Não vá guardar segredo do seu sócio!

SERÁ QUE VOCÊ PRECISA SE PREOCUPAR ?

Homem estressado, sofrendo com o dia a dia do escritório.

A rotina do advogado, por muitas vezes, é exaltada pelas pessoas – que geralmente não fazem parte deste ambiente – . Há uma certa “glamourização” ao retratar o dia a dia em um escritório de advocacia. Dias de trabalho que começam cedo e terminam muito após o horário do expediente; Reuniões complexas que podem durar muito tempo e ser exaustivas; Pressão vinda de todos os lados; Cobrança de um bom resultado nas atividades e que elas sejam feitas de uma maneira impecável e em um prazo mínimo.

Se você perguntar “Como é a rotina do advogado?” para alguém fora do ramo ou até mesmo realizar a pergunta para alguém que almeja entrar para a área, há uma grande chance de responderem tudo o que foi citado acima, e por incrível que pareça, essas pessoas não vão achar que isso é ruim. Pelo contrário, ou seja, os próprios advogados costumam alimentar essa exaltação ao ambiente onde a pressão e o estresse fazem parte da rotina.

Porém, essas situações não são, nem de longe, algo benéfico para os profissionais.

FIQUE ATENTO!

A sobrecarga de trabalho nos escritórios de advocacia são fatores decisivos para desencadear a síndrome de burnout. E se o escritório possui advogados com esta síndrome, as atividades desenvolvidas por eles, podem não ser feitas da melhor forma, com maior empenho. E qual é o resultado? A insatisfação do cliente/sócio, que não terá um produto final entregue de boa qualidade.

Afinal, um profissional que está sempre estressado, mal humorado, disperso e até depressivo, tem mais chances de ser menos produtivo, perder prazo e entregar serviços de qualidade duvidosa. Além disso, esse advogado irá contribuir para um ambiente de trabalho não muito harmonioso, o que pode prejudicar outros profissionais da equipe.

CONSEQUÊNCIAS NEGATIVAS

– Reclamação de clientes;

– Grande rotatividade de profissionais no escritório;

– Situações ruins na equipe interna;

– Diminuição na qualidade dos serviços;

– Baixa produtividade dos advogados;

– Serviço acumulado, entre outros.

Por estes – e tantos outros – motivos, é tão importante que os escritórios e os advogados busquem medidas para diminuir a sobrecarga e estresse no ambiente de trabalho.

 EVITE A SÍNDROME DE BURNOUT NO SEU ESCRITÓRIO

Antes de qualquer coisa, o profissional que está desenvolvendo os sintomas da síndrome precisa passar por um processo de autoconhecimento para conseguir identificar os principais pontos que causam ansiedade e estresse em sua profissão. Você tem dificuldade na organização de processos e prazos? Perde o controle quando precisa lidar diretamente com os clientes? Prefere realizar audiências ao invés de escrever documentos, e isso te deixa estressado?

Identificar seus pontos fortes e seus pontos fracos na advocacia pode te ajudar a enxergar quais áreas estão te sobrecarregando mais no trabalho e o que está abalando seu psicológico – e consequentemente atrapalhando seu desempenho profissional -. Ao listar estes pontos, você pode buscar uma solução específica para cada situação.

É importante ter em mente que esse processo de autoconhecimento pode ser demorado. Porém, todo o trabalho depositado neste processo será de grande recompensa para sua saúde.

Um exemplo: Um advogado que identifique que tenha dificuldade em lidar com clientes e prefira escrever peças e documentos, pode usufruir de parcerias jurídicas, ou até mesmo contratar um funcionário para o escritório que prefira interagir diretamente com o cliente. Agora, se você tem problemas para lidar com gestão e organização, a solução para seus problemas pode estar na tecnologia.

USE A TECNOLOGIA A SEU FAVOR

Você pode aderir à advocacia 4.0, por exemplo. Um advogado 4.0 tem um alto número de ferramentas e muito conhecimento prático sobre como otimizar o tempo de serviço e melhorar a qualidade do trabalho. E tudo isso sendo feito com menos estresse e maior satisfação.

As Lawtechs também podem ser de grande ajuda nestas questões de trabalho jurídico. Estas startups criam produtos tecnológicos para melhorar o setor jurídico e facilitar o trabalho dos advogados nos escritórios. Ou seja, são empresas que desenvolvem soluções que podem facilitar a rotina destes profissionais com softwares específicos para cada situação.  

Lidar com todas as demandas de um escritório de advocacia pode ser muito estressante, por isso, buscar empresas que possam auxiliar nestas atividades pode ser muito benéfico. Mexer com dados financeiros, por exemplo, pode ser  extremamente exaustivo, principalmente quando somado a uma rotina tão corrida, como a dos advogados. 

Imagina ter que lidar com várias atividades e clientes no dia a dia e ainda ter que se preocupar com a contabilidade do escritório? Além de ser mais uma demanda profissional, o advogado poderia usar esse tempo para atender seus clientes da melhor maneira possível ou mesmo ter um período de descanso para relaxar ao invés de se preocupar em entender sobre assuntos de contabilidade, ter tranquilidade e uma visão clara da saúde financeira do escritório pode fazer toda diferença para aliviar tanta tensão. A Pejota Contabilidade Especializada para Advogados tem um vasto conhecimento neste ramo e pode te auxiliar com estas questões, para que você cuide do que realmente importa: VOCÊ.

CONCLUSÃO

Essas são algumas das várias opções que podem servir para diminuir o estresse que está sendo desenvolvido em suas atividades profissionais.

Ressaltamos, mais uma vez, que o primeiro passo para quem está passando por situações que podem resultar na síndrome de burnout é procurar uma ajuda médica. Se você se identifica nestas condições e sintomas, faça isso o mais rápido possível. Se conhece alguém que está passando pelo problema, procure conversar e alertar para a importância de buscar uma ajuda profissional. Além disso, ofereça apoio e compreensão.

——-

Esperamos que este texto tenha sido esclarecedor e tenha ajudado para ampliar seu conhecimento sobre a Síndrome de Burnout. Caso deseje que a Pejota relate melhor algum tópico, fique à vontade para comentar aqui ou entrar em contato conosco. Nosso objetivo é ser o mais esclarecedor possível e sempre contribuir com mais informações.

Posted in Advocacia, UncategorizedTagged , , ,