7 DICAS SOBRE COMO CALCULAR HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS

Muitos detalhes no dia a dia do advogado podem tornar a profissão bem desafiadora. E um desses desafios é calcular os honorários advocatícios para oferecer  os seus serviços, principalmente quando se trata de advogados em começo de carreira

Há diversos fatores a serem levados em consideração na hora de fechar o seu preço, desde aspectos objetivos a razões subjetivas. Isso se deve à amplitude de ocasiões que a profissão exige para que o advogado chegue ao resultado final do seu trabalho. Apesar das estruturas pré-estabelecidas dos serviços, vale aquela máxima: cada caso é um caso. 

Isso não quer dizer que é impossível traçar um norte para o seu cálculo. Trouxemos algumas dicas que podem orientar o seu raciocínio e tornar o caminho mais claro para você. Mas, antes disso, existem alguns pontos cruciais que precisam ser observados minuciosamente. 

PONTOS INICIAIS A SEREM ANALISADOS

O seu preço precisa ser sustentável

Um dos erros mais comuns é se basear apenas na concorrência, sem analisar o contexto que envolve o cálculo. Isso pode levar você a cobrar um preço inferior ao mínimo para se sustentar durante a execução do trabalho. 

Ou seja: para se chegar a uma boa precificação, é necessário que o valor seja sustentável para o seu negócio, considerando gastos e ganhos que envolvem o serviço em questão. 

Considere fatores subjetivos do trabalho

É muito importante saber analisar o serviço além da parte prática e objetiva. Isso abrange a complexidade do caso, tempo de preparação, chances de êxito e até a vara onde o processo é distribuído. Inclusive, há advogados que cobram apenas pelo êxito justamente por avaliarem esses quesitos. É preciso verificar o que funciona para a sua realidade, afinal, é o seu tempo e o seu negócio que estão em jogo.  

7 DICAS PARA CALCULAR O SEU HONORÁRIO ADVOCATÍCIO

1 – Utilize como base os preços da tabela da OAB do seu estado para adequar à sua realidade atualmente

2 – Gastos com estudos e horas investidas na causa devem ser computados na precificação do serviço

3 – Não fuja da realidade processual: avalie bem o contexto e evite cobrar mais do que o cliente pode arcar

4 – Faça uma previsão do tempo de duração do serviço, desde a preparação ao trânsito em julgado da ação, considerando também possíveis recursos, embargos e apelações

5 – Avalie e faça a negociação de valores com clientes estratégicos que podem trazer mais negócios no futuro

6 – Não tenha medo de dizer “não”. Uma porta fechada agora pode render diversas oportunidades a médio e longo prazo.

7 – Reforço para não esquecer: o seu honorário precisa ser sustentável para o negócio, considerando gastos e lucro. 

No processo de precificação dos seus serviços advocatícios, é sempre bom reforçar também a importância de se cobrar um preço justo. Optar por baixar o valor do seu honorário apenas para combater a alta concorrência pode prejudicar a sua carreira e o negócio em um período maior de tempo. 

Além de pensar na realidade do seu futuro cliente, é essencial considerar a prosperidade da sua carreira enquanto um advogado de sucesso. Isso trará a tão sonhada sustentabilidade financeira que precisa. Você pode começar essa nova caminhada com o e-book Na Real, que possui orientações específicas e essenciais para a gestão financeira do seu trabalho.

E, para manter o equilíbrio da vida contábil e tributária do seu negócio, conte com uma contabilidade especializada que entende do ramo advocatício. Isso traz inúmeras vantagens, principalmente tranquilidade e tempo para você focar no seu trabalho. Faça um orçamento online agora e garanta a saúde financeira da sua carreira. 

Posted in Advocacia, Dicas Legais, Honorários AdvocatíciosTagged , , , , , ,